Sun Dethroned em Review

 

 

Banda: Moonshade

Titulo: “Sun Dethroned”

Editora: Art Gates Records

Data de Lançamento: 26.Outubro.2018

Não gosto de abrir algo que possa escrever, sobre um determinado assunto, pela sua conclusão. Mas aqui acho que é importante: GOSTO! E muito!

Posto isto devo dizer que sou daquelas pessoas que gosta bastante daquilo que se faz por cá. Costuma-se dizer com slogan mais antigo mas ainda muito atual: "o que é nacional é bom!" e é bem verdade. Basta olhar para aquilo que se tem produzido no território nacional para perceber a grande qualidade dos músicos que estão por cá. Eu nasci lá fora mas vim para Portugal cedo. Ouço Metal desde que me lembro e tenho a dizer que adoro a nossa produção nacional. Não é só fado, não é só futebol, e ainda menos só serão cozinha e turismo. Na Música, no Metal há também excelente qualidade!

Confesso que embora siga de muito perto tudo o que se faz no nosso território (os Cds em casa serão mais do que prova disso, e os gritos cá em casa quando chego com as mãos cheias ainda mais!), não conhecia muito bem os Moonshade. Erro meu com certeza! Muita qualidade musical e boas composições. Não vou falar de passado apenas dizer que estes Portuenses, formados em 2009,  e com vontade de pesquisar/produzir outro tipo de som, os Moonshade atuam numa sonoridade Death Metal Melódica. Com toques muito Heavy e uma sonoridade pesada, não descuram de maneira nenhuma a parte mais "sensível" com a adição de passagens verdadeiramente melódicas com sonoridades mais clássicas. Composta por Pedro Quelhas e Daniel Laureano (menção extra para a fotografia de sua autoria na capa do LP) nas Guitarras, Ricardo Pereira nas Vozes, Nuno Barbosa (Baixo e Teclados) e Sandro Rodrigues (Bateria), algo tem de ser realçado desde já,  a qualidade global, tanto das músicas como dos arranjos, e por fim, da produção. Entramos no LP com "God of Nothingness": uma intro mais lenta de estilo mais clássico, com teclas, e depois que som! Pesado, incisivo, straight to the point, mas sem esquecer aquilo que a banda pretende: aquele ambiente melódico. Prova disso o interlude, sensivelmente a meio, com guitarra clássica. Mas o ritmo...Bem, aquele ritmo que nos da vontade de mexer, de vibrar, de sentir. Para entrada, devo dizer que foi mesmo algo fantástico. Continuando com aquele que será o primeiro single do LP, "The Flame that Forget Us", continua num ritmo muito interessante e mexe novamente com a nossa vontade de abanar o corpo. Com sonoridades muito "Celtas" e com rítmica bastante marcada, temos novamente esta presença bem vincada entre a parte mais Dura/Pesada e a genial sensibilidade que é fornecida às composições. Secção rítmica genial e que dizer das guitarras. Também não ficam atrás as vozes do Ricardo! Excelente! "Lenore" com uma intro mais calma, com teclados e Guitarra clássica, e a voz gutural distante mas que se vai aproximando, para depois deixar lugar a riffs incisivos e ao peso da dupla Baixo/Bateria. Gostei bastante dos backing Vocals nesta faixa. Continuamos no registo Melódico Pesado com "Sun Dethroned" música epónima deste álbum. Continuação perfeita daquilo que nos tem sido apresentado, embora neste tema, sintamos algo mais aéreo, que nos faz ter vontade de fechar os olhos e viajar, devido às várias alterações de ritmo e à quebra na sonoridade que nos surpreende.  Destacar ainda a música que fecha este LP: "Dreamless Slumber". De facto, uma excelente composição. Daquelas que temos de ouvir e que fica na cabeça. Uma fantástica progressividade na música que nos encaminha lentamente e até de uma maneira mais espiritual para a força que vem a seguir. Peso e riffs, velocidade e melodia, sentimentos. Tudo esta nesta composição que parece um resumo daquilo que acabámos de ouvir.

Como disse no início. Gostei. Muito!

Pontuação: 9/10

Por: Julien Valente