O BLINDAGEM está de volta no ORIGENS CAFFÉ

Origens caffé

 

We Are Killing Ourselves (WAKO) e António Freitas

O BLINDAGEM volta á Ponte de Vagos ao antigo Pau de Canela, agora ORIGENS CAFFÉ , para uma noite de muito peso. Depois de um concerto enorme no VAGOS OPEN AIR, os WAKO, voltam á carga por terras de Vagos. Um concerto único a não perder. O projecto We Are Killing Ourselves (WAKO) surgiu sob o desígnio de Outrage em Janeiro de 2001, quando um círculo de amigos, com as mesmas influências musicais, tentou criar o seu próprio estilo de som. A primeira Demo “Outrage” foi gravada em 2002 e desde então, a banda atingiu um público muito mais vasto com o qual conseguiu criar uma grande empatia.
Em 2004, os We Are Killing Ourselves gravam um novo EP independente intitulado “Symbiotic Existence”, cuja produção esteve a cargo de Daniel Cardoso. Aí começou uma nova cruzada no meio musical…
Com quatro anos de existência e mais de 200 actuações ao vivo, partilhando palcos com Soulfly, Sepultura, (Hed)pe, Moonspell, Municipal Waste, Bizarra Locomotiva, Breed 77, Benediction, Obituary, Textures, Pestilence, Aborted, Havok, Ramp, Paradise Lost, Entombed, Slayer, Megadeth, Uneven Structure, The Algorithm e participando em vários festivais de Verão por todo o país e também em Espanha, os We Are Killing Ourselves começaram a ser reconhecidos e respeitados como uma das maiores bandas de metal em Portugal.

A banda tirou algum tempo para reflectir e começou a gravar o seu albúm de estreia no UltraSound Studios. A relação com o produtor Daniel Cardoso sempre foi bastante próspera ao longo dos anos e em 2007, culminou no álbum ”Deconstructive Essence”. A banda assinou um contrato de 2 anos pela editora independente Casket Music, e a 27 de agosto de 2007 o álbum “Deconstructive Essence” foi lançado a nível mundial. Álbum este, que ganhou notória projecção no domínio musical nacional e internacional, aclamado como uma das melhores obras no campo artístico nacional e uma séria e genuína promessa na música alternativa europeia.
Em 2008, os We Are Killing Ourselves assinaram contrato com a ilustre Dean Guitars e Ddrum e andaram em tour, como cabeças de cartaz, pelo Reino Unido e pelos Estados Unidos da América, nomeadamente no estado da Flórida.

No início de 2010, a banda planeou gravar o seu 2º álbum e trabalhou novamente com o produtor Daniel Cardoso no UltraSound Studios em Braga, gravando com êxito o álbum “The Road of Awareness”. Este foi mixado e masterizado por Josh Wilbur, vencedor do prémio Grammy (Chevelle, Staind, Puddle of Mud, Hatebreed e Lamb of God) nos Spin Studios, na cidade de Nova Iorque.
Após algumas mudanças e tendo reunido todas as condições, a banda assina com a editora Rastilho Records. Os We Are Killing Ourselves ostentam uma máquina sonora poderosa com uma intensidade estridente e energéticamente raivosa. Com uma produção reluzente e com bastantes actuações ao vivo marcadas, a banda é destinada a um público que se estende para além da sua terra natal, procurando uma constante expansão dos seus horizontes.
Para dar ainda mais peso á noite, António Freitas estará aos comandos da cabine.
Origens Caffé
Rua Principal, nº 92, 3840-326 Ponte De Vagos, Aveiro, Portugal